5 dicas para começar a organizar sua vida financeira

 
 
ilustração de mulher em posição de yoga

Saúde financeira: ter controle suficiente do dinheiro para que você consiga realizar seus objetivos de curto, médio e longo prazo. É verdade que chegar lá pode ser uma maratona, de muita educação e disciplina, mas é um processo absolutamente viável.

Deter uma vida financeiramente saudável não é nenhum tipo de privilégio de alguns – e para concordar com essa afirmação, é preciso que um tabu seja quebrado. Falar de dinheiro.

 Você precisa entender que nesse caso a distância tem que ser relativa e que da mesma maneira que você paga boletos para os outros, você tem que criar o hábito de pagar “boletos” para você mesmo. Isso não significa perder completamente o seu poder de compra ou tampouco abdicar da manutenção da sua vida.

 É entender que para alcançar seus objetivos, você precisa colocar dinheiro em você, investir para que suas faculdades mentais possam ir além do modo automático.

 E isso é muito difícil. Digo isso internamente. Porque a equação está ai. Depende de você se rearranjar e estabelecer como uma meta de vida. Uma vez priorizado o objetivo, as distâncias diminuem, as grandes metas vão se dividindo em pequenas outras e as coisas de repente se tornam viáveis, tangíveis.

 Vale ressaltar que não é um processo de ermitão. É um bom vinho, que quanto mais você toma, mais vontade tem de continuar. É um processo constante de estímulos ver o dinheiro render, ver ele prosperar.

 Resumo da ópera: independe de quanto você dispõe em mãos. Primeiro é necessário que uma mudança mental tome conta da sua vida. Que você esteja disposto a isso, que você tangibilize. Torne real seu desejo de enriquecer. Escreva em um lugar que você possa ver. Acredite nisso.

 Só assim, com você acreditando que é possível, nossas “5 dicas para começar a organizar sua vida financeira” farão sentido. É simples, mas requer pulso firme, vontade e disciplina.

 

1.   Anote tudo

 Você precisa saber como está gastando seu dinheiro. Quanto entra no começo do mês e quanto sai ao seu término. Você precisa saber quanto dinheiro tem em sua conta no fim do dia. É dessa maneira que você será capaz de se tornar mestre de suas finanças. Com as coisas na ponta do lápis. Detendo conhecimento da sua rotina.

 Avalie seus gastos e defina metas de despesas que levem em conta seus objetivos. É um trabalho de acompanhamento. Não adianta ter o conhecimento sobre e como fazer se você não souber aonde quer chegar. Transforme tudo em valor monetário, assim você saberá exatamente quanto falta para alcançar seus objetivos. Essa é a regra número 1. Você só conseguirá efetivamente aplicar as próximas dicas se você souber o que entra e o que sai e tiver controle disso. Investigue, procure saber, se atente e anote tudo.

 

2.   Faça uma reserva para emergências

 O óbvio: imprevisto é um imprevisto. Não tem como adivinhar. E para aquilo que foge da regra número 1, de estar no controle total, é melhor prevenir do que remediar. A reserva de emergências é o que vai te fazer deitar a cabeça no travesseiro mais tranquilo. É o fator chave da mudança de comportamento que vai te fazer conseguir alcançar mais, com menos ansiedade e menos agonia. Ela te coloca os pés no chão, te blinda.

 Problema de saúde, consertos gerais, perda de emprego. Elabore uma rotina para que você dedique parte do seu dinheiro para montar uma reserva de emergências. Quanto mais atenção nisso, mais rápido você irá preencher o necessário para sobreviver financeiramente caso aconteça algum imprevisto. Quanto menos atenção, maior a probabilidade de acontecer qualquer coisa e você não estar preparado.

Mas é uma atitude que literalmente conta qualquer coisa, o tempo que for. Só guarde seu dinheiro em algum lugar com liquidez diária para te dar o suporte necessário e devido. Existe sempre a tática de guerrilha. Abra mão de 6 meses de conforto na sua vida para montar a reserva e resolver o problema. O conforto que vem depois te dá muito mais sustento e alívio. Seja como for, monte uma reserva de emergências. Só com ela você vai ter segurança para construir o resto da sua vida e do seu futuro.

 

3.   Invista em você

 Questão de prioridade. O que mais vai te fazer ganhar dinheiro a curto prazo não é nenhum tipo de investimento, senão o investimento em você mesmo. Se capacitar é a maior arma que você tem para diversificar a maneira como você gera renda extra e faz a máquina funcionar.

Hoje o acesso à informação é democrático. Investindo o mínimo que seja, você já está mais próximo de encontrar os caminhos para ampliar seu repertório.

Compre um bom livro ou faça um curso. Posso garantir que o investimento na sua educação é o mais rentável que existe. O constante estímulo ao aprendizado te ajuda a dar mais valor naquilo que está investindo. É retorno certo. Antes de aprender a investir, é fundamental ter uma base sólida de repertório para saber como diversificar seu fluxo monetário.

 

4.   Gaste menos

 Sem disciplina é impossível seguir um planejamento e alcançar seus objetivos. A principal ideia por detrás de organizar a vida financeira é viver bem tanto no presente quanto se preparar para estar bem também no futuro. Apesar de, a princípio, as despesas rotineiras não parecerem ter tanto impacto no orçamento, quando somadas, elas podem fazer toda a diferença no que sobra na conta ao final do mês.

Os gastos com produtos e serviços que não eram realmente necessários comprometem a meta de manter as finanças saudáveis. Por isso, uma das formas de gastar menos sem abrir mão do que gosta é criar um orçamento limite para gastos diários. Use planilhas e aplicativos para controlar despesas e evite parcelamentos.

Se quiser manter as finanças saudáveis, não deixe ainda de analisar seus gastos e entender o que é essencial, necessário e supérfluo para controle das despesas. Gaste menos, tenha mais inteligência na hora de organizar seu dinheiro.

 

5.   Renda Extra

 Lembra de investir em si mesmo para aumentar a diversidade do seu fluxo de caixa? Pois bem! Descubra coisas novas que você pode fazer para ganhar um dinheiro extra. Todas as outras dicas são valiosas para você ter controle do que já entra e como você converte isso nos seus gastos diários. Essa é para você multiplicar os seus ganhos, exponencializar toda a jogada. Aumentar sua capacidade de montar uma reserva de emergência ou até mesmo se organizar para dar os próximos passos.

Só depois de aplicar todas essas cinco dicas, de organizar a casa, é que vamos entrar no mundo dos investimentos e da rentabilidade. Tem muito mais a ver com mindset do que com capacidade técnica. Você realmente pode ter controle da sua vida financeira. É trabalhoso, tem que estar atento aos detalhes, mas funciona. Se você conseguir mudar a chavinha e entender que para ter um dinheiro bem gerido é preciso simplesmente gerir – perdão pela redundância da frase -, você não vai ter problema em seguir esses passos.