4 dicas para você sair das dívidas mesmo ganhando pouco

 
 
correndo das dividas

Dívidas são um ciclo vicioso. Ninguém entra em uma arbitrariamente. É sempre uma tentativa de diluir o que você não pode pagar no momento – e que com juros, catapulta o valor astronomicamente. 

É o parcelado no cartão. É parcelar a fatura do cartão. É o carro financiado. É o aluguel atrasado. Quem entra em dívida, espera contorna-la o mais rápido possível. E esse é o maior erro de todos, porque provavelmente a pessoa não vai conseguir cumprir com os prazos e a bola de neve só vai aumentar. Ela não vai pagar o mesmo que deveu inicialmente. 

É impressionante o veneno que são os juros das linhas de crédito – sobretudo do cartão de crédito e cheque especial, os mais acessíveis. Fora isso, tem o cenário de desemprego, que contribui substancialmente para a crise econômica que vive o país.

Na busca por ajustar as contas, a primeira coisa que precisa ser feita é botar ordem na casa. Saber o valor total das suas dívidas é o primeiro passo, não tem como fugir.

Saber como sair do vermelho ganhando pouco se tornou mais do que uma necessidade. Se tornou a única forma de conseguir sobreviver a esse período de incertezas.

Na busca por ajustar as contas, a primeira coisa que precisa ser feita é botar ordem na casa. Saber o valor total das suas dívidas é o primeiro passo, não tem como fugir. Depois você precisa saber quais os produtos de crédito contratados e quais suas taxas de juros.

Provavelmente quem entra em dívida não tem capacidade de pagar tudo de uma vez, por isso é importante conhecer todos os detalhes possíveis e priorizar o pagamento daquelas com juros maiores e que podem rapidamente sair do controle

Também é importantíssimo buscar sempre um acordo com seu credor - você tem interesse de pagar e ele tem ainda mais interesse em receber.

Sair das dívidas é um processo, que angustia, mas é totalmente viável. Você só precisa se organizar e ter interesse. Quem ganha pouco, precisará abrir mão daquilo que não é indispensável para a sobrevivência. Buscar uma renda extra também é uma saída importante para quem quer quitar as dívidas.

Montamos 4 dicas para você organizar sua vida financeira e sair das dívidas.

Organize todas as suas finanças pessoais e faça um planejamento financeiro

O planejamento financeiro precisa ser muito mais do que uma ferramenta e que as decisões que envolvam dinheiro sejam amparadas pelas informações e análises desse planejamento.

Realizar um bom planejamento não é algo só para especialistas. É apenas um exercício de praticar o bom senso. Você precisará definir prioridades e respeitar os seus limites. 

Separe as despesas em quatro tipos: fixas, variáveis, extras e adicionais. 

A primeira são as contas que não alteram, como aluguel, ou condomínio. A segunda, como luz e água, são contas fixas que se alteram. Extras são para algum imprevisto e adicionais para o seu lazer.

Comece com a mudar hábitos mais simples. Comece apagando as luzes dos locais desocupados, retirar os utensílios eletrônicos da tomada quando estiverem desligados e diminua o uso de água fechando a torneira sempre que não houver necessidade. Outra dica é usar cupons de desconto e programas de fidelidade em todos os estabelecimentos comerciais possíveis.

Você precisa entender a importância de desenvolver esse hábito. Porque basta você mudar alguns hábitos de consumo que você imediatamente começa a guardar uma boa quantia. Temos que ser sinceros: essa é uma tarefa difícil! Justamente porque é uma tarefa que requer extrema disciplina. A palavra de ordem é: prioridade.

Muitas pessoas costumam recorrer a planilhas financeiras, agendas e aplicativos para não esquecer nenhuma despesa. A partir do momento que você começar a registrar todas as suas movimentações financeiras diariamente, você conseguirá ter uma visão mais completa das suas finanças e poderá conhecer efetivamente quais são os seus principais gastos e quanto você ganha.

Poupe e faça uma reserva de emergência

Quando o assunto é poupar, uma estratégia também precisa ser seguida: separar, dentro do seu controle financeiro, um percentual para formar sua reserva para emergências.

O óbvio: imprevisto é um imprevisto. Não tem como adivinhar. E para aquilo que foge da regra número 1, de estar no controle total, é melhor prevenir do que remediar. A reserva de emergências é o que vai te fazer deitar a cabeça no travesseiro mais tranquilo. É o fator chave da mudança de comportamento que vai te fazer conseguir alcançar mais, com menos ansiedade e menos agonia. Ela te coloca os pés no chão, te blinda.

Problema de saúde, consertos gerais, perda de emprego. Elabore uma rotina para que você dedique parte do seu dinheiro para montar uma reserva de emergências. Quanto mais atenção nisso, mais rápido você irá preencher o necessário para sobreviver financeiramente caso aconteça algum imprevisto. Quanto menos atenção, maior a probabilidade de acontecer qualquer coisa e você não estar preparado. 

E o que montar uma reserva de emergências te ajuda na hora de pagar suas dívidas? A resposta é simples e direta: não aumenta-las. Tendo uma garantia, você não tem problemas em cair no buraco novamente. 

Se você organizou suas finanças pessoais, está no controle de tudo e tentou renegociar a dívida com seu credor, vá pagando aos poucos. Com o cuidado devido, ela já não é mais um monstro de sete cabeças. 

O mais importante na hora de pagar suas dívidas é ter a certeza de que você não fará novas.

Crie metas e gere renda extra

Avalie seus gastos e defina metas de despesas que levem em conta seus objetivos. É um trabalho de acompanhamento. Não adianta ter o conhecimento sobre e como fazer se você não souber aonde quer chegar. Transforme tudo em valor monetário, assim você saberá exatamente quanto falta para alcançar seus objetivos.

Descubra coisas novas que você pode fazer para ganhar um dinheiro extra. Todas as outras dicas são valiosas para você ter controle do que já entra e como você converte isso nos seus gastos diários. Essa é para você multiplicar os seus ganhos. Aumentar sua capacidade de montar uma reserva de emergência ou até mesmo se organizar para dar os próximos passos. 

Comece a criar metas de consumo e trabalhe-as com seu orçamento de forma inteligente. Comece, como falado, priorizando a redução dos gastos fixos e faça de seu planejamento uma arma que responderá como se livrar das dívidas.

Evite parcelar suas compras e pratique o consumo consciente

Uma dica para economizar dinheiro e colocar as finanças em dia é sempre priorizar os pagamentos à vista. Várias compras parceladas somadas não só deixam de caber no bolso, como também acabam levando você a utilizar os limites do cheque especial e a função rotativa do cartão de crédito.

A principal ideia por detrás de organizar a vida financeira é viver bem tanto no presente quanto se preparar para estar bem também no futuro. Apesar de, a princípio, as despesas rotineiras não parecerem ter tanto impacto no orçamento, quando somadas, elas podem fazer toda a diferença no que sobra na conta ao final do mês.

Os gastos com produtos e serviços que não eram realmente necessários comprometem a meta de manter as finanças saudáveis. Por isso, uma das formas de gastar menos sem abrir mão do que gosta é criar um orçamento limite para gastos diários. Use planilhas e aplicativos para controlar despesas e evite parcelamentos. 

Se quiser manter as finanças saudáveis, não deixe ainda de analisar seus gastos e entender o que é essencial, necessário e supérfluo para controle das despesas. Gaste menos, tenha mais inteligência na hora de organizar seu dinheiro.

No final, a realização dos nossos sonhos depende de uma série de decisões que precisamos construir ao longo de algum tempo. A melhor forma de fazer boas escolhas é fazendo do consumo consciente um hábito, consumir sem soberba e desperdícios.

Conclusão

Independe de quanto você dispõe em mãos. Primeiro é necessário que uma mudança mental tome conta da sua vida. Que você esteja disposto a isso, que você tangibilize. Torne real seu desejo de sair das dívidas. Escreva em um lugar que você possa ver. Execute um planejamento financeiro, faça uma reserva de emergências, gere renda extra e pratique o consumo consciente. Acredite nisso.

Lucas Bicudo

Jornalista da Messem Investimentos